Ontem e sempre, SALDANHA

Hoje, TASSO


1884

PÁTRIA, LIBERDADE E DEMOCRACIA

NOSSO É O DEVER DE DEFENDÊ-LAS!


2015

PRONUNCIAMENTOS DE CAMPANHA

A JUSTIFICADA PREOCUPAÇÃO COM O FUTURO DA PETROBRÁS

Desde quando aprendi a ler, menino de cinco anos de idade, encantei-me com os livros infantis do grande escritor e patriota Monteiro Lobato. Meu favorito era “O Poço do Visconde”, em que abordava o mundo extremamente interessante da exploração do petróleo, afirmando sempre a sua exixtência em solo brasileiro. Era como se uma preparação para as futuras gerações de concidadãos habilitarem-se ao domínio futuro e inexorável da grande riqueza conhecida como “ouro negro”.
Meu pai sempre procurou despertar meu interesse por setores do conhecimento humano que abrissem a mente e dela fizessem terreno fértil para avanços continuados. Assim é que, em nossa primeira viagem a Nova Iorque, no período de três anos durante a Segunda Guerra Mundial em que residimos em Washington, DC, levou-me ao Haydn Planetarium, para testemunhar, com o auxílio dos mais avançados recursos tecnológicos da época, a representação das galáxias, do sistema solar, dos cometas, das nebulosas, de todas aquelas maravilhas das quais me falava em casa. Inclusive, a sucessão das estações e dos dias e das noites, cuja ocorrência me havia demonstrado, pela primeira vez, lançando mão de uma laranja, que fazia girar em torno do próprio eixo, iluminada por uma vela, que segurava na outra mão.
Da mesma forma, procurou desde cedo ensinar-me os rudimentos da geologia. Se é verdade, dizia ele, que as rochas do Brasil estão, em alguns lugares, entre as mais antigas do mundo, do período cristalino, caracterizado pela ampla ocorrência do granito, como nas ilhas e elevações da região costeira do Sudeste e nas Serras do Mar, Geral e da Mantiqueira, outros havia de rochas mais recentes, das Eras Secundária e Terciária, de possível ocorrência de petróleo, pela decomposição das imensas florestas e dos enormes animais primitivos, contemporâneos aos seus períodos constituintes. Outras regiões eram constituídas de terras ainda mais recentes, da Era Quaternária, como a planície sedimentar amazônica, formada pelo aterramento provocado pela erosão dos Andes. Gostava de falar, também, do derramamento basáltico do Trapp paranaense, que deu origem às férteis terras exploradas em tantas culturas agrícolas e consideradas das mais produtivas do mundo.
Guardo de memória, talvez com bastante imprecisão e imperfeição, os ensinamentos então recebidos. O corolário de tudo era aquilo que Monteiro Lobato afirmava: sim, o Brasil tinha petróleo em seu subsolo.
Na década de 1940, se me não falha a memória, o Governo Federal contratou os serviços de eminente géologo americano, Walter Link, que, depois de muitas andanças e pesquisas, em seu relatório apresentado às autoridades nacionais, declarou, peremptóriamente, que no Brasil não havia petróleo. Desse modo, parecia que um anátema divino havia condenado nossa terra a não se poder benficiar da existência de uma das mais disputadas e valorizadas riquezas naturais!
A pertinácia de brasileiros que continuavam suas buscas e explorações, apesar de tudo, levou a que, finalmente, jorrasse o precioso petróleo de poços abertos na Bahia. Foram a glória e a alegria nacionais! Mas era preciso proteger e guardar a nova riqueza dos apetites e da cupidez dos abutres internacionais, personificados nas “Sete Irmãs”, as grandes companhias dos países ricos e desnvolvidos que dominavam o setor.
No Clube Miltar, a “Casa da República”, iniciou-se a grande campanha em prol do “Petróleo é Nosso”, comandada por respeitados e respeitáveis Chefes Militares do porte dos Generais Horta Barbosa e Leitão de Carvalho. A entusiasmada adesão do povo do Brasil logo se seguiu, e o Presidente Getúlio Vargas, em 1954, criou a Petrobrás – Petróleo Brasileiro SA e legislação imediatamente posterior determinou o monopólio estatal do petróleo.
Seguiram-se anos de sucesso e de ampliação dos trabalhos realizados pela Petrobrás, que se tornou uma das mais importantes companhias do setor no mundo, orgulho dos brasileiros e detentora da mais avançada tecnologia existente de exploração de óleo/gás em águas profundas. Um quadro administrativo e técnico de primeiro nível, composto de patriotas zelosos e dedicados, dedicava-se com afinco, paixão e competência aos seus misteres, ciente do quão era importante para o Brasil. Tinha justo orgulho da sua companhia, do que fazia e de si mesmo. Assim, foram a Petrobrás e suas subsidiárias e divisões constituintes crescendo, ampliando as atividades, conquistando mercados, respeito e reconhecimento internacionais, e expandindo-se para outros países e continentes. Sempre honrando e glorificando a Bandeira do Brasil, pelo trabalho sério, continuado, honrado, competente e dedicado de homens e mulheres, cujos espírito de corpo, virtudes e patriotismo podiam fazer deles êmulos perfeitos dos militares do Brasil!
Eis que nada mais que de repente, o PT assume o governo no Brasil. Em busca da realização da sua meta síntese de empalmar todo o poder, para sempre, a fim de realizar o projeto de imposição da cruel ditadura vermelha em nossa terra. Aparelha com seguidores, acólitos, agentes e aliados, sem qualquer competência técnica, mas por puro apadrinhamento e compadrio ideológico, todos os níveis do Estado brasileiro, mormente no Executivo, enquanto Legislativo e Judiciário, na mais alta corte, foram progressivamente satelizados.. São hoje mais de 20.000 indivíduos dedicados a promover o projeto partidário extremista, inspirado das trevas, sem qualquer vínculo com o Projeto Nacional Brasileiro, em construção ao longo da nossa História independente e soberana, sempre orientado pelo Bem Comum, pela paz, pela Justiça, pelo Direito, pela Liberdade e pela Democracia, pela grandeza e pela felicidade da Pátria e de seus filhos.
Toma de assalto a Petrobrás, vampiriza o sangue dos seus recursos e de seus melhores projetos, como trágica e devastadoramente mostrado no atual processo do Petrolão. Uma corrupção gigantesca e assustadora vai sendo revelada e desvelada diante da Nação estarrecida e compungida, que atinge de morte o orgulho dos brasileiros, a pedra da coroa da nossa realização como povo capaz e empreendedor. E a Petrobrás perde credibilidade, confiança dos investidores, enfrenta limitações de crédito no mundo e ações nos tribunais internacionais.
Tudo por conta da ação de fanáticos irresponsáveis e de corruptos e corruptores de fome pantagruélica quanto aos recursos de todos os brasileiros. Como sempre, vêem-se a mentira e corrupção sem limites empregadas como eficazes armas políticas, para desmoralizar a Democracia, carrear recursos para facilitar a Revolução Vermelha e encher os bolsos de uma legião de apátridas, sem qualquer compromisso com a ética e a moral.
E vêm ainda os responsáveis governamentais por tal tragédia a público, com a coragem de atribuir a um “complô internacional” as mazelas e destruições impostas à Petrobrás por membros e integrantes do próprio PT, e de convocar protestos e manifestações populares para gritar e reclamar, com sua bandeiras e camisas vermelhas, contra os males que eles mesmos produziram!
Brasileiros do bem, cerremos fileiras em defesa da Pátria ameaçada! De braços dados, ombro a ombro, combatamos todos os dias o Bom Combate pelo Brasil e pela Virtude! E não nos deixemos esmorecer, jamais, no cumprimento da Missão!
PÁTRIA, LIBERDADE E DEMOCRACIA, NOSSO É O DEVER DE DEFENDÊ-LAS!

Rio de Janeiro, RJ, 09 de abril de 2015.
SERGIO TASSO VÁSQUEZ DE AQUINO - Vice-Almirante
Da Academia Brasileira de Defesa e do Instituto de Geografia e História Militar do Brasil Candidato a Presidente do Clube Naval pela Chapa Liberdade e Democracia

VOLTAR  


Desenvolvido por CID PEREIRA, Tel 21 996046650, E-mail: cidcostap@yahoo.com.br